Arquivo da tag: Alma

Festival Alma Surf 2010

O movimento surfístico na cidade da garoa começou.

O Festival Alma Surf, assim como nos dois anos passados, se instala no Morumbi Shopping e oferece ao público o melhor do surf:

– mostra de arte
– mostra de fotografia
– exposição de pranchas
– festival internacional de cinema

Pra saber mais sobre o evento, clique aqui.

Anúncios

Concurso Cultural: Minha alma é de Surfista

Se você passa a semana na terra da garoa, sufocado debaixo executivo, e conta os minutos para pegar a estrada com a sua mais fiel companheira em cima do carro, esse quiz é pra você!

O Morumbi Shopping premiará os 300(trezentos) participantes que melhor pontuarem com 1(um) par de ingressos para o Festiv’Alma 2008 que acontecerá na Bienal do Ibirapuera de 9 a 12 de Julho. *(O par de ingressos dará direito a entrada em um dos quatro dias do evento).

Acesse já e faça o quiz, clique aqui!

BOA SORTE!

Peace

A Essência da Meditação

A meditação permite-te ouvir a palavra do silêncio, discernir a sua Clara-luz, no interior de ti. Essa visão não será possível se estiveres numa atitude sonolenta, que provoca o devaneio. Senta-te para meditar, com o busto direito, como uma árvore, com os olhos fechados, na posição do vigilante.

Observa muito longe em ti, sem afrouxar a tua atenção, com o espírito vazio, evitando o movimento dos pensamentos. É a atitude do guerreiro espiritual, do Acordado.

Nenhum pensamento está, na realidade, completamente isolado. O verdadeiro espaço está no interior. O que se passa no espírito repercute-se em todo o universo.

A vida é uma disciplina que se conjuga no presente. Realiza cada ato plenamente. Não te interesses senão pela vida, em todas as suas formas, pois ninguém sairá vivo desse jogo.

Não tenhas medo da solidão quando ela vem ao teu encontro. Ela é a ocasião de te reencontrar e de te fortificar.

Aprende primeiro a acalmar o teu espírito e a relaxar o teu corpo, depois desce em ti, como o mergulhador. Não tenhas medo de conhecer a plenitude e a completa vacuidade. Só tens uma vida, mas é infinita. Com a meditação, entras naquilo que não pode ser nem dividido nem separado.

Muda de ponto de vista para guardar distanciamento. Desconfia das paixões, ganha recuo recolhendo-te.
A meditação aproxima-te do centro de ti próprio, logo que fechas os olhos. Não está ligada ao curso do pensamento, nem ao jogo fantasmagórico das emoções. Aprende a calar-te e o teu coração abrir-se-á.

A origem das coisas não está situada no passado. Produz-se agora, em cada instante, no teu espírito. Aprende a pensar de outra maneira.

Podes utilizar um sonho, uma recordação, como suporte para a tua meditação. Não analises, não reflitas. Contenta-te em observar, sem palavra, sem pensamento, como o animal fascinado observa o fogo. Transforma os teus desejos, as tuas sensações, em energia pura. Considera-os como pedras preciosas, que brilham desligadas de ti.

A meditação transforma a crença em realidade vivida. Utiliza o seu poder, se queres mudar o mundo.

Não é necessário que medites sobre as mandalas nem sobre as figuras tradicionais do Vajrayana. Toma o teu próprio desejo como objeto da tua meditação. Observa-o, de longe, sem perder o encantamento, e segue-o como se sobe um rio, até à sua nascente. Ele é a chave que abre todas as portas.

Aprende o poder de amor da meditação: ela abre o coração e faz nele penetrar o universo inteiro. Reúne o que foi separado pela ilusão. Eis-te imerso no fluxo da vida e deslizando com ele.

Aprende também a meditar com os olhos abertos. Concentra-te na beleza de uma flor, no murmúrio das ondas, no barulho do vento. Suprime a distância que te separa das coisas. Meditar é um ato de amor.

Cada paixão dominada acende um novo sol.

Toma refúgio muito longe em ti próprio, se queres encontrar os outros.

Se estás infeliz e num estado de caos interior, não acuses o mundo pois ele não é senão o reflexo de ti próprio. O que tu és, o mundo é-o também. Cura-te e o mundo curar-se-á.

Deves derrubar os teus hábitos de pensamento. Desce em ti, com o espírito livre, consciente da tua própria divindade, à maneira de um espelho que reflete o sol.

Medita por entre o tumulto da vida quotidiana, no meio dos engarrafamentos, andando na rua. Descondicione-se. Toma de repente altitude, e considera o espetáculo do mundo como um fluxo eterno, sem começo nem fim. Estás no centro, o único ponto fixo, com a tua consciência, as tuas sensações, as tuas reflexões. Meditar assim renova a energia, e evita a lassidão.

Meditar, é renunciar ao universo conhecido e descer aos bastidores, aí onde o espírito puxa os cordéis do jogo. É tornar a ser o grande maquinista, o criador do universo.

A meditação começa sempre por uma total descontração do corpo físico, que elimina as tensões. Aprende a respirar, isto é, a tornar vivos os mecanismos habituais do corpo.

Reúne os teus pensamentos no centro de ti próprio, e impede-os de derivar. Visualiza esse centro como sendo a única realidade, se queres que a tua meditação se torne numa arma que desperta.

Nós não temos nenhuma consciência de nós próprios, é por isso que o menor choque exterior nos surpreende e perturba. Reencontra o domínio interior, sem perder a inocência do olhar, e a bondade do coração.

A meditação permite-te ocupar realmente o teu lugar, reencontrar o equilíbrio e a harmonia. Ela é a via real que leva à felicidade, o caminho mais curto, pois evita os maus hábitos do exterior, os artifícios, as ilusões.

Considera o teu espírito como o templo de ouro, que contém todo o universo.

A meditação permite reunir as energias, evitando a dispersão e o desperdício. Orientando os teus pensamentos para os outros, podes curar os que sofrem, vir em auxílio dos desgraçados e fazer muito bem. A meditação acorda os poderes do espírito.

Se queres deslocar-te e aproximar-te de alguém, podes utilizar o poder todo-poderoso do pensamento. Visualiza o lugar que queres atingir, reunindo as tuas emoções, os teus desejos, sem te perder em vagos devaneios. Para isso, não deves deixar o teu espírito vagabundear, mas, pelo contrário, torna a trazê-lo para o centro de ti próprio, pela meditação, sem nunca perder a consciência do Instante.

Durante a tua meditação, deixa flutuar as idéias e as sensações vagabundas, sem procurar retê-las. Deixa o vazio invadir o teu espírito, e ressentirás um calor maravilhoso, assim como uma imensa alegria. Será então que a distância entre ti e o mundo há de desaparecer. Estás no lugar do espírito que reúne todas as coisas. A partir deste lugar, podes agir sobre ti próprio e sobre o mundo.

Descobre a profundidade da meditação, e encontrarás a imediatitude do mundo. Os mestres de sabedoria ensinam que esse instante é a única realidade. Dele nascem os universos e os mundos.

Os conflitos, o ódio, a violência, provêm de um desconhecimento de si, que gera dor e confusão. Não duvides do teu próprio esplendor interior. Cada ser vivo é uma estrela.

Dugpa Rinpoche

Texto extraído do site: http://www.dharmanet.com.br

A Meditação e a Mente

A Meditação

Domar a mente e trazê-la à compreensão da realidade não é um trabalho fácil. Requer um processo lento e gradual de ouvir e ler explicações sobre a natureza das coisas; pensar e analisar cuidadosamente sobre esta informação; e finalmente transformar a mente através da meditação.

A mente pode ser dividida em consciência sensorial — visão, audição, olfato, paladar, tato — e consciência mental. A consciência mental vai desde as nossas experiências mais grosseiras de ódio ou desejo, por exemplo, até o nível mais sutil da calma e claridade completas. Ela inclui nossos processos intelectuais, nossos sentimentos e emoções, nossa memória e nossos sonhos.

A meditação é uma atividade da consciência mental. Ela envolve uma parte da mente observando, analisando e lidando com o resto da mente. A meditação pode tomar várias formas: concentrar-se unidirecionadamente em um objeto (interno), tentar compreender algum problema pessoal, gerar um amor alegre por toda a humanidade, rezar a um objeto de devoção, ou se comunicar com nossa sabedoria interna. Seu objetivo final é despertar um nível muito sutil de consciência e usá-lo para descobrir a realidade, direta e intuitivamente.

Esta consciência direta e intuitiva de como as coisas são é conhecida como a iluminação, e é o resultado final da prática da Meditação. O objetivo de alcançá-la — e a força condutora por trás de toda a prática — é para ajudar os outros a alcançá-la também.

A Mente

A mente, ou consciência, está no coração da teoria e prática da meditação, e nos últimos 2.500 anos, meditadores vêm investigando-a e usando-a como um meio de transcender a existência insatisfatória e de atingir a paz perfeita. Diz-se que toda felicidade, comum e sublime, é atingida pela compreensão e transformação de nossa própria mente.

Um tipo de energia não-física, a função da mente é conhecer, experienciar. É a própria consciência. É clara por natureza e reflete tudo o que experiencia, assim como um lago calmo reflete as montanhas e florestas que estão ao seu redor.
A mente muda de momento a momento. É um continuum sem início, como um fluxo sempre em movimento. A mente não é uma coisa física que tem pensamentos e sentimentos; essas próprias experiências são a mente. Por ser sem matéria, ela é diferente do corpo, apesar de mente e corpo serem interconectados e interdependentes. Este relacionamento explica porque, por exemplo, as doenças e desconfortos físicos podem afetar a mente, e por que as atitudes mentais, por sua vez, podem dar origem tanto à cura quanto aos problemas físicos.

A mente pode ser comparada a um oceano, e os eventos mentais momentâneos — como a felicidade, a irritação, as fantasias e a tristeza — às ondas que sobem e descem sobre sua superfície. Assim como as ondas podem ser apaziguadas para revelar a calma das profundezas do oceano, assim também é possível acalmar a turbulência de nossa mente para revelar sua clareza natural.
A habilidade para fazer isto está dentro da própria mente, e a chave para a mente é a Meditação.

Peace

SURF – Atitude, Feeling e Comprometimento

Alfio Lagnado, dono da Hang Loose e SurfCo., comandou a 5º aula do curso, SURF – Administração, Marketing e Gestão de Negócios, que acontece na USP, com a parceria USP/Ibrasurf.

Atitude, Feeling e Comprometimento foram as principais palavras que achei para descrever essa aula e o Alfio, mas se fosse citar, teriam ainda muitas outras palavras, Administração, Moda, Estilo, Vida, Viagens, Humildade, Surf, Surf, Surf. O tema da aula era Administração no Surf, mas foi muita mais que isso, Alfio deu uma verdadeira aula sobre vida, valores e o jeito certo de se fazer a coisa certa.

Alfio nos contou a história da sua marca, a Hang Loose, que começou no inicio dos anos 80. Foi numa paixão pelo surf e pelas viagens que Alfio deu seu primeiro passo, sem imaginar o que viria pela frente. Sem muita verba para as viagens, Alfio começou a fabricar e vender chaveiros, vendendo para os amigos, rapaziada do Surf. Com parcerias como Sidão Tenucci, fundador da Op e outros, o negócio de Alfio foi crescendo. Ele se amarrou na idéia e seguiu em frente, construindo tudo o que tem hoje, a grande marca, as grandes pessoas que tem com ele. Alfio tem parceiros como, Volcom, Rusty, Reef, QuikSilver, que com certeza também foram importantes para um aprendizado e evolução do próprio Alfio e da marca.

Alfio citou as linhas importantes na administração, o Foco principalmente, na opinião dele o foco é poderoso, temos que sempre ter em mente o foco e nunca se perder. Dando um exemplo, não adianta ter uma marca de Surf e patrocinar eventos como Rodeio, ou até mesmo o Skate que é uma linha bem próxima do Surf. Se o seu negócio e o foco é o Surf, mantenham-se nele, mesmo com oportunidades de faturar uma grana fora dessa linha, desista, isso pode acabar desgastando a empresa, mantenha sempre o foco, não vacile. Público alvo também é bem importante, você não pode sair distribuindo o seu produto pra qualquer um, em qualquer lugar, ou você quer que seu produto, sua marca vire carne de vaca ? Na minha opinião ninguém quer isso, tirando claro as pessoas que apenas pensam no dinheiro e não na alma do negócio. Também citou importantes pontos para uma empresa, o Marketing, a Equipe, Mídia Personalizada, e disse que temos que trabalhar com o que gostamos, trabalhar duro e muito sobre aquilo que queremos.

Alfio ainda falou da descoberta de Fabio Gouveia, a luta para conseguir contratar o cara, de alguns atletas da Hang Loose, o treinamento que faz com os pequenos que estão chegando e todo o suporte dado aos surfistas da equipe. Os projetos ambientais e sociais que tem em Noronha, plantio de árvores e um trabalho com as crianças.

Na segunda parte da aula, Alfio se dispôs a responder perguntas e foi assim até o final da aula, perguntas de vários estilos, educação social, sobre a equipe, marketing, administração, o WCT que está em luta para rolar na Ilha, Fernando de Noronha e a grande pergunta, que já havia rolado na aula do Dragão e veio a tona novamente, e o nosso campeão no WCT, quando vem? Alfio comentou sobre os atletas, o surf de todos, mas acha que ainda vai demorar um pouco pra aparecer um campeão, disse que falta cabeça pra rapaziada que ta chegando agora, eles não são COMPLETOS para serem campeões. Uma próxima geração é que pode ter chance de ser campeã, vamos esperar e o tempo nos dirá.

A aula finalizou no estouro do tempo, não deu para dizer tudo o que queria, mas disse muito e coisas bem importantes. A meu ver, Alfio é um cara tranqüilo, humilde e soube fazer o que queria do jeito certo. Tem o que tem hoje, pela luta, pela vontade, determinação e pelo seu carisma. Alfio me passou uma imagem muito boa, o jeito como toca a empresa, não transformando em carne de vaca a marca, uma marca feita por surfista para surfista.

Parabéns ao Alfio por essa incrível aula.

Peace

Surf é mais que Surf

Surf é mais que surf
Por Juliano Bório                

 Lembro que uma vez um brother me falou: “Surfista não gosta de praia, gosta de onda”. Encucado, minha cabeça sob o efeito do ‘’Green Planet’’, segurou aquela informação como se fosse um complicado problema aritmético que precisasse ser resolvido na busca de libertar meus pensamentos. Em frente ao mar, e não poderia ser diferente, consegui refletir e viajar na complexidade que tinha por trás daquela idéia.

 Sim, o surf não é só uma prancha, uma onda e um surfista. O surf é mais que surf, o surf é e sempre será “Soul”. O surf nasce de várias formas e envolve vários elementos. Um telefone que toca às 6:00 am, “acorda meu, acorda, tem onda, tem onda”, uma idéia em meio a um churrasco em uma sexta-feira ociosa, “vai rolar meio metrinho amanhã, foi dar esse banho? passo lá às 8”, uma trip inventada às pressas pelo desejo de liberdade de algum brother, “foi fazer uma trip no feriado?”, “se tiver um marzão, tô dentro”, “eu também”, “partiu”, ou seja, elementos do surf. Tudo começa com esta adrenalina de você saber que vai cair, não importa onde, como, o tamanho do mar ou a qualidade da onda. Você sabe que vai estar lá, em algum pico, em alguma praia, sentindo o feeling de acordar cedo, saudável, sentindo aquele friozinho na barriga pelo mar, quando sabemos que só ele te dá essa sensação, por ser eternamente uma mulher de fases.

91034.jpg
Foto: Arquivo Pessoal

Tudo continua com a camaradagem, poder ser através de uma geléia gringa que você levou no bolso da mochila e põe na roda para a gurizada, ou até mesmo aquela parafina que faltou na bagagem de um brother, quando o mesmo naqueles momentos de relax e pensamentos longes, não conseguiu lembrar. Esta união já seria suficiente para o surf ter uma magia espiritual do bem e da paz muito fortes. Mas é mais, o surf vai muito mais além.

Toda essa mistura de energia, adrenalina e camaradagem também na areia. Cada um pode ter uma visão do mar, mas todos buscam sempre o melhor pelo bem de todos. Do canto melhor, do menor crowd, da melhor vala. O surf é o esporte individual mais coletivo que eu conheço. É onde não existe derrota, todos saem vitoriosos e de cabeça feita da água. Cada um com seus motivos. Cada um com suas razões. O surf ainda é mais e vai além da água.

91035.jpg
Foto: Arquivo Pessoal

 Um pôr-do-sol rasgando o céu com cores e formatos que hipnotizam nossos olhos. O ‘’Green Planet’’ rolando , uns adeptos, outros não. Não importa, o pós-surf é uma das grandes magias do Surf. Este é o momento que considero mais solitário de todos. De cabeça-feita, você consegue pensar melhor para tudo. Diante do marzão que você acabou de sair, um filme passa na cabeça de cada um. O silêncio é a prova de um grande dia. O canto dos pássaros é a prova de uma grande energia. O barulho do mar, é a prova da força de uma natureza tão rica e encantadora. E o Surf?
Ah, o Surf é a prova de que ainda podemos ser livres e ali, somente naqueles momentos, você sente sensações às quais eu passaria minha vida inteira buscando.

Salve o Surf.

 Peace.